banner

TCE suspeita de sobrepreço e suspende pregão de Chapada dos Guimarães

370 0

Do: Midia News

Quatro empresas apresentaram propostas pelo serviço, que consta na compra de materiais de informática

 

*O conselheiro interino Isaías Lopes da Cunha, que assina a medida cautelar

O Tribunal de Contas de Mato Grosso determinou, por meio de medida cautelar do conselheiro interino Isaias Lopes da Cunha, a suspensão do Pregão Presencial nº 17/2019 da Prefeitura Municipal de Chapada dos Guimarães, alegando possibilidade de sobrepreço.

O procedimento licitatório visa o “registro de preços de empresa especializada em comercialização de materiais eletrônicos e equipamentos de informática, em atendimento ao Gabinete da prefeita e aos órgãos pertencentes ao gabinete”.

No Portal da Transparência do Município, consta que quatro empresas apresentaram propostas pelo serviço, com orçamentos que variam de R$ 46,7 mil a R$ 65,5 mil.

A cautelar, publicada no Diário Oficial de Contas, se deve aos indícios de possível contratação de bens e serviços com preços comprovadamente superiores aos de mercado e à não observância do tratamento diferenciado e simplificado garantido às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte nos procedimentos licitatórios (art. 42 a 49 da Lei Complementar 123/2006 e legislação específica do ente).

O TCE ainda citou e determinou à gestora da Prefeitura de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (PSDB), à chefe de Gabinete, Isabel Cristina Masson da Cruz, e ao procurador-geral do Município, Renato de Almeida Orro Ribeiro, que suspendam a execução do procedimento licitatório referente ao pregão e demais atos e contratos dele decorrentes, até decisão de mérito por parte do TCE.

Conforme o TCE, o cumprimento da decisão deve ser imediato.

O processo, inicialmente, foi distribuído sob a relatoria da conselheira interina Jaqueline Jacobsen Marques, contudo devido às suas férias concedidas e por conter o presente feito pedido de cautelar para suspender o processo licitatório, os autos foram remitidos ao Gabinete da Presidência do TCE, que providenciou a redistribuição do processo à relatoria do conselheiro interno Isaias Lopes da Cunha.

A cautelar foi proposta pela Secretaria de Controle Externo de Contratações Públicas, por meio Representação de Natureza Interna, para apuração dos indícios de irregularidades.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Holler Box
Holler Box