Situação do Pronto Socorro de Cuiabá piora, apontam fiscais

55 0

A situação piorou desde a última visita da equipe de fiscais, avalia CREA
Infiltrações, instalações elétricas expostas, superlotação de leitos foram algumas constatações da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) durante vistoria realizada na manhã desta terça-feira, 8, na ala pediátrica do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá. Para o engenheiro sanitarista Jesse Barros, a situação se agravou desde a última visita, e novos problemas surgiram nos dois prédios do hospital. De acordo com Barros, após a reforma realizada em 2011, o sistema de abastecimento de água e esgoto do hospital foi prejudicado “e hoje há um vazamento de esgoto no subsolo do prédio, por conta da obstrução do sistema que interliga os dois prédios do Pronto Socorro”, afirma.
 
A inexistência de um profissional habilitado para realizar a manutenção de alguns equipamentos também foi constatada pelos profissionais. “O Crea notificará o Pronto Socorro por falta de profissional habilitado e de Anotação de Responsabilidade Técnica, documento primordial para o desenvolvimento dessas atividades”, disse o representante da FPI, Adriano Furtado.

As normas de acessibilidade também foram destacadas pelo coordenador de Acessibilidade do Conselho, Givaldo Dias Campos. “As rampas e alguns degraus estão inadequados, os móveis obstruem a passagem dos pacientes, não existe piso tátil, entre outras coisas. A situação dos pacientes é dramática, e piora no caso de pessoas com deficiência, já que o local não atende os requisitos de acessibilidade e nenhuma mudança foi feita nos últimos anos. Pelo contrário, a situação piorou, em alguns aspectos”, disse.

Para Jesse Barros, o trabalho da FPI é de extrema importância, já que aponta as inconformidades “mas o poder municipal, que é responsável pelo hospital, precisa apresentar soluções, e em caráter urgente”, disse.

A visita foi requisitada pelo Juizado Especializado da Infância e Juventudade da Comarca de Cuiabá, e teve a participação dos engenheiros Juares Samaniego, presidente do Crea; Jesse Barros, Archimedes Pereira Lima Neto, do técnico em Edificações Givaldo Dias Campos e pelo fiscal da FPI Adriano Furtado, representando o Crea, além de profissionais do Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Secretaria de Meio Ambiente e Assuntos Fundiário de Cuiabá (Smaaf), Conselhos Regionais de Enfermagem (Coren), de Farmácia (CRF), de Psicologia (CRP), de Nutrição (CRN), Serviço Social (CRESS), Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito) e Medicina (CRM).

Um relatório será feito pelos participantes da ação e entregue ao Juizado.