Raio de Luz encanta público de Campo Verde com a peça “Dos Índios ao Algodão”

81 0

Premiada nacionalmente, a peça “Dos Índios ao Algodão”, escrita por Elair Xavier e adaptada pelo ator e diretor Charles Pierre, foi encenada na noite de sexta-feira (8) no auditório da Paróquia São Cristóvão e encantou a plateia.

O espetáculo que conta a história de Campo Verde desde os índios bororos, primeiros habitantes do Vale do Rio São Lourenço, até a chegada dos sulistas e a transformação do cerrado em polo produtor de algodão, soja e milho, foi encenado pelo Grupo Raio de Luz, do Departamento Municipal de Cultura.

O prefeito Fábio Schroeter, que assistiu ao espetáculo, enfatizou que a história protagonizada pelo Grupo Raio de Luz, que venceu as divisas territoriais de Campo Verde para brilhar no 12º Festival Nacional de Teatro de Governador Valadares (MG) em janeiro deste ano, onde arrebatou 4 prêmios e foi elogiado pela crítica, vai marcar para sempre a vida dos atores. “O mais importante de tudo é isso”, destacou.

O prefeito também frisou que a peça é um reconhecimento a todos que ajudaram a fazer de Campo Verde uma das melhores cidades de Mato Grosso e do Brasil. “É uma história muito antiga, de um povo que veio de muitos lugares e que trabalhou muito para construir essa cidade”, disse ele.

Paula Melissa Bruno Araújo assistiu à apresentação e ficou surpresa com a qualidade do espetáculo e com o desempenho dos atores. “Como professora de linguagem eu acabo tendo envolvimento com o teatro também. Estou bem impressionada, eu não sabia que eles estavam em um nível tão alto. Estou bem feliz com a apresentação”, disse ela.

Supervisora do Departamento Municipal de Cultura e produtora da peça “Dos Índios ao Algodão”, Fátima Conti ficou satisfeita com a receptividade do público e com o desempenho dos atores.

Para ela, a apresentação correspondeu às expectativas. “A noite de hoje ocorreu da maneira planejada, com o público esperado. Enfim, foi tudo dentro do planejado, tudo dentro do normal”, observou.

Segundo Fátima, o objetivo de mostrar à população de Campo Verde o trabalho que está sendo feito no Departamento de Cultura e que vem evoluindo ao longo dos anos, foi atingido. “Era uma oportunidade de as famílias poderem contemplar esse momento e nós ficamos muito contentes com o resultado”, disse.

A noite no auditório da Paróquia São Cristóvão começou com a apresentação do grupo GT Alfa, da Escola Municipal Dona Sabina Lazarin Prati, que encenou o musical Life House, retratando a luta dos jovens entre o Bem (Deus) e o Mal (drogas, bebidas e outros).

Holler Box
Holler Box