Putin e Merkel defendem ‘solução política’ para a crise da Síria

42 0
Presidente russo: Wladimir Putin

G1

 
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, se declararam nesta sexta-feira (1) em Berlim a favor de uma “solução política” na Síria, afirmou Merkel em entrevista conjunta.

“Expressamos nossa convicção de que é preciso encontrar uma solução política” para a crise na Síria, disse a chanceler, considerando que o plano do enviado especial da ONU e da Liga Árabe Kofi Annan “pode ser um ponto de partida”.

Putin também negou que a Rússia forneça à Síria armas que possam ser usadas em uma guerra civil no país.

Ele ressaltou que a Rússia não apoia nenhuma das partes em conflito e declarou sua oposição a qualquer intervenção militar para deter o banho de sangue no país.

“Você não pode fazer nada através da força”, disse.

A pressão internacional sobre o regime do presidente Bashar al Assad subiu na última semana, após ataques que mataram 108 pessoas, entre elas 49 crianças e 34 mulheres, e feriram cerca de 300 em Hula, na região central do país.

O governo sírio acusou “grupos armados”, mas a oposição e a ONU acreditam que milícias pró-governo são responsáveis.

O regime de Assad enfrenta uma revolta desde março do ano passado, reprimida com violência em vários pontos do país, que está praticamente em guerra civil.

Mais de 13 mil pessoas, em sua maioria civis, morreram, segundo a oposição.