Palmeiras massacra o América-MG e fica a uma vitória do título brasileiro

67 0

Com: ESPN

© Getty

Nesta quarta-feira, o Verdão fez o dever de casa e massacrou o América-MG por 4 a 0, no Allianz Parque, em duelo válido pela 36ª rodada, e só não foi campeão porque, no Rio de Janeiro, o Flamengo também ganhou do Grêmio.

Mesmo assim, o time de Luiz Felipe Scolari foi a 74 pontos e agora depende de apenas mais uma vitória para se consagrar decacampeão nacional.

O Fla, que está em 2º, tem 69 pontos, enquanto o Internacional viu sua chance de título acabar com a derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, também nesta quarta.

No Allianz Parque, o primeiro herói da noite foi o zagueiro Luan, que conseguiu furar a defesa mineira aos 13 da segunda etapa, em um lance confuso, no qual os adversários pediram impedimento. No entanto, o palestrino estava em posição legal.

O tento abriu a porteira, e Dudu, Willian e Deyverson construíram a goleada dos 30 minutos em diante, fazendo a torcida alviverde gritar “o Deca vem aí”, em referência ao 10º título do Brasileirão, que está cada vez mais próximo.

Na próxima rodada, o Palmeiras visita o desesperado Vasco, domingo, às 17h (de Brasília), em São Januário. Se vencer, garante o título no Rio de Janeiro.

No mesmo dia, mas às 19h, o América recebe o Bahia, no Independência.

O time de Belo Horizonte está em 17º lugar, na zona do rebaixamento, com 37 pontos.

O JOGO

No embalo da torcida que encheu o Allianz Parque, o Palmeiras foi para cima e finalizou pela primeira vez com 2 minutos: Borja fez o pivô e ajeitou para Dudu, que chegou batendo colocado, com perigo por cima do gol.

Logo na sequência, o Verdão retomou a bola pelo lado direito e contra-ataque com velocidade. Dudu atravessou todo o campo e cruzou buscando Willian, chegou um segundo atrasado para completar para as redes.

As tabelas entre Borja e Willian funcionavam, e o “Bigode” teve mais uma oportunidade aos 10, quando aproveitou o pivô do colombiano e chutou no meio do gol. João Ricardo defendeu tranquilo, sem dar rebote.

Só o Palmeiras criava chances de perigo. Aos 20 minutos, foi a vez de Dudu experimentar, soltando uma bomba que chegou quente para João Ricardo. O arqueiro defendeu meio estranho, de manchete, mas conseguiu mandar para escanteio.

Os mineiros amarravam o jogo e marcavam forte, inclusive levando cartões amarelos: Ademir e Norberto foram “premiados”, e até o zagueiro reserva Paulão foi advertido no banco por reclamação.

Com isso, os alviverdes só foram criar uma nova chance aos 34: Dudu cruzou da esquerda, Willian deu a “casquinha” e Borja quase conseguiu colocar de cabeça no fundo das redes, mas pegou mal na bola e mandou para fora.

Quatro minutos depois, Lucas Lima deu ótimo passe para Willian, que segurou e enfiou para Victor Luís. O lateral arriscou cruzado e tirou tinta da trave americana, levantando novamente os torcedores.

Dudu seguia endiabrado. Em mais uma boa jogada do camisa 7, ele recebeu de Bruno Henrique na intermediária, levou para perto da meia-lua e finalizou cruzado, para mais uma boa defesa de João Ricardo, que não rebateu.

Logo na sequência, um lance inacreditável: Dudu, sempre ele, puxou o contra-ataque, se livrou da marcação e rolou para Borja, completamente sozinho na área, só completar para as redes. O gringo, porém, isolou por cima de maneira patética.

O Verdão pressionava muito: nos acréscimos, Bruno Henrique disparou um míssil de fora da área, e o goleiro do “Coelho” espalmou por cima para garantir o 0 a 0 no intervalo, apesar das muitas chances perdidas pelos mandantes.

Na volta do intervalo, o técnico Luiz Felipe Scolari trocou de centroavante: tirou Borja, que vinha sofrendo com reclamações dos torcedores, e colocou Deyverson para incendiar a partida.

Quase deu certo logo no primeiro lance: depois de escanteio, Willian desviou e Deyverson cutucou para dentro. No entanto, a arbitragem anulou o tento por impedimento, revoltando o camisa 16, que garantiu estar em posição regular.

A pressão palestrina seguia: aos 3, Lucas Lima deu uma bela arrancada e chutou forte da entrada da área. A bola passou zunindo por cima da trave de João Ricardo, levantando a torcida mais uma vez.

Depois de tanto insistir, o Palmeiras conseguiu seu gol aos 13 minutos: Lucas Lima cruzou da esquerda, o zagueiro Messias tentou tirar e a bola rebateu no também defensor Luan, indo parar no fundo das redes.

Os jogadores do América imediatamente cercaram o bandeira reclamando de impedimento do atleta alviverde. No entanto, o árbitro Paulo Roberto Alves Jr considerou o lance legal e validou o tento.

No embalo da torcida, o Verdão seguiu em cima e quase ampliou sete minutos depois de abrir o placar: Deyverson fez “casquinha” perfeita para Willian, que invadiu a área e tentou tocar na saída do goleiro, mas viu seu chute ser defendido.

Aos 30, porém, João Ricardo nada pode fazer quando Dudu invadiu a área americana e só rolou para Willian dar um leve toque para o fundo do gol, “matando” a partida no Allianz Parque e embalando ainda mais a torcida.

O América entrou em parafuso depois do segundo gol e o Verdão aproveitou para construir uma goleada.

Aos 32, Dudu recebeu livre na direita e disparou uma bomba no ângulo de João Ricardo, fazendo uma pintura. E pouco depois, Mayke cruzou na cabeça de Deyverson, que só desviou para fechar a conta.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 x 0 AMÉRICA-MG

Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP

Data: 21 de novembro de 2018, quarta-feira

Horário: 21h45 (de Brasília)

Público: 39.429 pagantes

Renda: R$ 2.615.582,46

Árbitro: Paulo Roberto Alves Jr

Assistentes: Luciano Roggenbaum e Luiz Henrique de Souza Santos Renesto

Cartões amarelos: Paulão, Norberto, Matheus Ferraz, Christian, Leandro Donizete e Ademir (AMG)

GOLS

PALMEIRAS: Luan, aos 13, Willian, aos 30, Dudu, aos 32, e Deyverson, aos 36 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Victor Luís; Thiago Santos (Moisés), Bruno Henrique e Lucas Lima; Willian, Dudu (Felipe Melo) e Borja (Deyverson) Técnico: Luiz Felipe Scolari

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Norberto, Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos; Christian, Juninho, Ademir (Leandro Donizete) e Matheusinho (Robinho); Luan e Rafael Moura Técnico: Givanildo Oliveira

Holler Box
Holler Box