Neymar brilha, Santos goleia o Bugre e fica bem perto do tri

63 0

 

O Peixe pode perder até por até dois gols de diferença no próximo domingo; Até o técnico do Guarani ‘joga a toalha’…
“Não é mole não, no Centenário vou gritar tricampeão!”, cantou a torcida do Santos neste domingo, no Morumbi, logo após o time abrir 3 a 0 no Guarani na primeira partida da final do Paulistão. Resultado que deixou o Peixe mais perto do tricampeonato estadual, o primeiro desde a década de 1960 (1967, 68 e 69). Para levantar a terceira taça seguida do campeonato, o time poderá até perder por 2 a 0, na próximo domingo, no mesmo estádio.
E festa da torcida santista contou com a “grife Neymar e Ganso”. A dupla de ouro do Peixe brihou e comandou a goleada. De quebra, a Joia ainda fez dois gols, chegou aos 104, e se igualou a João Paulo e Serginho Chulapa, os maiores artilheiros da história do clube pós era-Pelé. E como fez na semana passada, o camisa 11 homenageou o dono da marca. Antes foi Juary, neste domingo foi Chulapa.
Após o jogo, até Vadão, técnico do Guarani “jogou a toalha”:
– O Santos é 99% campeão…
E os “99%” começaram com um show de Neymar. Logo no primeiro lance, a Joia alegrou a torcida. O camisa 11 dominou a bola no meio de campo, deixou cinco marcadores para trás e só parou na falta cometida por Ewerton Passos. Na cobrança, Elano carimbou a trave do goleiro Emerson.
Depois do lance do Peixe, o Guarani melhorou. Passou a dominar a posse de bola. Mas chegou pouco ao gol de Aranha. Quando conseguiu, Medina, o substituto do lesionado Fumagalli, desperdiçou uma boa oportunidade, já na área do Santos.
Mas a dupla de ouro do Santos apareceu: Neymar fez bela jogada na esquerda, Arouca deixou a bola passar e Ganso bateu da entrada da área para fazer 1 a 0, aos 42 minutos. Na comemoração, o camisa 10 “regeu” a torcida santista. Se ainda não eram os “99%” ditos por Vadão, era um grande passo.
O Bugre começou com tudo a segunda etapa e acertou a trave de Aranha, que conseguiu desviar o chute de Bruno Recife. Mas foi pouco…
O Peixe melhorou, ficou no ataque, mas pouco finalizou. O Guarani até tentou, mas não chegou com qualidade. Quando chutou, a bola saiu fraca.
Aos 20 minutos, porém, o Peixe definiu a vitória. Após ótimo passe de Juan, Ganso ficou sozinho, tentou o drible no goleiro Emerson, que conseguiu desviar e tirar a bola do camisa 10. Mas ela sobrou nos pés de Neymar, que bateu para o gol. Mas eram apenas uns “80 % do título”…
“Acostumada” com os títulos em sequência – somente no Paulistão poderá ser o quarto em cinco edições -, a torcida do Peixe começou a festa a partir daí. Para eles, o time já era “100%”. Cantou e lembrou do Centenário, completado no último dia 14 de abril.
E Neymar, que chegou à final do Estadual quatro vezes em quatro anos como jogador profissional, continuou show. Deu chapéu, apareceu para o jogo e resolvou chegar aos “99% do título”. Aos 46 minutos, Neymar recebeu belo passe dentro da área, driblou um rival e só tocou para as redes. O 104º gol da Joia pelo clube.
Antes da festa “dos 100%”, porém, o Peixe se concentra para o duelo pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O time encarará o Bolívar, na próxima quinta-feira, na Vila Belmiro. O Alvinegro perdeu o primeiro jogo por 2 a 1. Uma vitória por 1 a 0 ou dois gols de diferença classificará o time.

FICHA TÉCNICA:

GUARANI 0 X 3 SANTOS

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/Hora: 6/5/2012 – às 16h
Árbitro: Wilson Luis Seneme (SP)
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior e Fabio Rogério Baesteiro (SP)
Renda e público: R$ 1.849.376/ 40.146 pagantes
Cartões amarelos: Ewerton Passos e Fábio Bahia (GUA); Adriano e Henrique (SAN)
GOLS: 42’/1ºT, Ganso (0-1); 20’/2ºT, Neymar (0-2); 46’/2ºT, Neymar (0-3)
GUARANI: Emerson, Bruno Peres (Thiaguinho – 33’/2ºT), Domingos, Neto (Andre Leone – 22’/1ºT) e Bruno Recife; Ewerton Passos (William Favoni – intervalo), Fábio Bahia, Danilo Sacramento, Medina; Fabinho e Bruno Mendes. Técnico: Vadão
SANTOS: Aranha, Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca, Elano (Ibson – 43’/2ºT) e Ganso; Neymar e Alan Kardec. Técnico: Muricy Ramalho