Mauro Savi se torna 1º secretário da Mesa e Nininho agora é titular da Assembléia

39 0
Dep.Estadual Nininho

Com a escolha de Sérgio Ricardo (PR) para o cargo de conselheiro no Tribunal de Contas, na sessão da Assembleia desta quarta (9), o ex-prefeito de Itiquira, Ondanir Bortolini, o Nininho, será efetivado no cargo de deputado. Antes, entretanto, Sérgio aguarda a publicação do projeto de resolução que indica o seu nome para poder renunciar o cargo e, enfim, tomar posse na corte de Contas, na vaga de Alencar Soares, pré-candidato a prefeito de Barra do Garças. A cerimônia provavelmente ocorrerá na semana que vem.
Com a efetivação de Nininho, há alteração na suplência da coligação PT, PR e PMDB. Emanuel passa a ser o primeiro suplente e o petista Alexandre Cesar o segundo. Na prática, ganham mais tranquilidade, tendo em vista que passam a legislar na cadeira dos secretários de Cultura e de Turismo, João Malheiros (PR) e Teté Bezerra (PMDB). Outro que comemora a saída de Sérgio é Adalto de Freitas, o Daltinho, que terá mais facilidade em assumir o posto por meio de rodízio.
Como já era esperado, a sabatina de Sérgio Ricardo não passou de uma mera formalidade. Nenhum dos 23 deputados fez qualquer tipo de questionamento ao republicano que era candidato ao cargo vitalício. Ao invés disso, rasgaram elogios ao colega de Legislativo, lembrando da história e ascensão política dele, como vereador de Cuiabá e deputado por três mandatos, tendo assumido ocupado o posto de 1° secretário e presidente da Assembleia.
Entre os mais empolgados estavam Mauro Savi (PR) que , a partir de agora, passa a ser o primeiro secretário do Legislativo. Ele não escondeu a satisfação com a despedida de Sérgio. Acontece que o parlamentar se articula para assumir o comando da Mesa Diretora e enfrentava resistência devido ao fato de Sérgio ter o apoio para ser o sucessor de José Riva. Agora, entende que o caminho está livre.
Já o apresentador de TV Walter Rabelo chorou ao falar sobre Sérgio. Afirmou que ambos têm uma trajetória política parecida. José Domingos Fraga que, ensaiou articulação para ficar com a vaga de Alencar Soares, foi um dos poucos a pedir que Sérgio tenha cautela no novo cargo. Segundo ele, é necessário que o tribunal não se torne uma máquina de multas. Percival também mandou recado e ressaltou que o TCE precisa ser menos duro, principalmente agora que todas as condenações podem causar a inelegibilidade dos políticos.