Governador Silval tenta ajustes para baixar propostas de valores do VLT

61 0
Foto Ilustrativa

 

Mesmo com a licitação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em andamento, o governador Silval Barbosa (PMDB) espera que o preço das propostas apresentadas pelos quatro consórcios que disputam o processo licitatório se ajuste ao montante pré-estabelecido pelo governo (R$ 1,150 bilhão). A declaração foi feita durante visita do ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PCdoB), às obras da Arena Pantanal, nesta segunda-feira (21).

Com mais de R$ 300 milhões além do esperado, já que o menor preço foi oferecido pelo consórcio VLT Cuiabá, no valor de R$ 1,477 bilhão, Silval Barbosa disse que, se houver alguma barreira que impeça as liberações dos recursos para o VLT, ele vai recorrer ao ministro do Esporte.

“Se tiver algum entrave nós [governo de Mato Grosso] estaremos recorrendo ao ministro que sempre se colocou à disposição”, pontuou o governador.

Para sair como vencedor, além de apresentar o menor valor, os consórcios apresentaram propostas técnicas que estão sendo analisadas pela Comissão Especial de Licitação da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa). A avaliação está sendo feita por somatória de pesos dos dois itens: proposta de preço (40%) e proposta técnica (60%).

O consórcio que vencer a licitação vai ter que implantar o VLT no canteiro central nos itinerários CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro, percorrendo 22,2 quilômetros. As obras devem ficar prontas no primeiro trimestre de 2014, anunciou o secretário da Copa, Mauricio Guimarães.

Os ônibus convencionais alimentarão o sistema VLT, levando os passageiros dos bairros até uma das estações do metrô de superfície, que ficarão ao lado dos trilhos no canteiro central das avenidas Rubens de Mendonça, Prainha, FEB e Fernando Correa da Costa.

Os envelopes com propostas das empresas foram abertos dia 15 deste mês na Secopa.

Confira as propostas

Consórcio VLT Cuiabá: R$ 1 bilhão 477 milhões 617 mil 277 reais e 15 centavos

Consórcio Mendes Júnior Soares Costa/Altom: R$ 1 bilhão 547 milhões 152 mil 071 reais e 95 centavos

Consórcio Tranvia Cuiabá: R$ 1 bilhão 596 milhões 018 mil 626 reais e 03 centavos

Consórcio Expresso Verde: R$ 1 bilhão 850 milhões 977 mil 101 reais e 36 centavos

Empresas que compõem cada consórcio

Consórcio “VLT Cuiabá”: cinco empresas
Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda, Astep Engenharia Ltda.

Consórcio “Mendes Junior/Soares Costa/Alstom”: três empresas
Mendes Junior Trading e Engenharia S.A, Sociedade de Construções Soares da Costa S/A, Alstom do Brasil Engenharia e Transporte.

Consórcio “Tranvia Cuiabá”: oito empresas
S/A Paulista Construções e Comércio, Trans Sistemas de Transporte S/A, Isolux Projetos e Instalações, Corsán-Corviam Construccion S/A, Isolux Ingeneria S/A, Vossloh España S/A, Vossloh Kiepe, Vetec Engenharia.

Consórcio “Expresso Verde”: seis empresas
Engeglobal Construções Ltda, China National Machinery Import & Export Corporation – CMC, Construtora RV Ltda, Convap Engenharia e Construções S/A, Três Irmãos Engenharia Ltda, Ecoplan Engenharia Ltda.