Festival de blues em Chapada promete movimentar comércio local; pousadas estão quase lotadas

80 0

Do: Olhar Conceito

O ‘Geodésica in Blues Festival’, que acontece neste sábado (10) em Chapada dos Guimarães, promete movimentar o comércio local. Isso porque as pousadas da cidade já estão quase todas lotadas. A expectativa dos comerciantes é que de cinco a dez mil pessoas visitem a cidade.

Lauristela Guimarães, membro do trade turístico e proprietária da pousada Chateau Camalote, é uma das que já está sem nenhum quarto disponível. “Nós estamos vendo a grande procura. Se eu tivesse 50 quartos, estariam todos lotados”, comemora. “Está mais movimentado do que o feriadão da próxima semana. Isso que a gente quer, produto de boa qualidade, e que as pessoas subam pra curtir chapada”.

No Chateau Camalote ficarão, também, hospedados alguns músicos que vem de fora de Mato Grosso para o evento. Segundo Douglas Silva, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Chapada, foi pedido aos comerciantes que dessem uma contrapartida.

“Quando a gente tem um festival deste porte, traz de 5 a 10 mil pessoas pra Chapada, e são pessoas específicas, dum publico que curte Chapada mesmo. Famílias que curtem boa música, pessoas que tem casa ou vem com a família… o público ideal. Eles vem pra consumir num restaurante, dormir em hotel, o que gira o dinheiro na cidade”, afirma Douglas.

O festival é realizado por Marcos Sguarezi, criador da cachaça geodésica, e tem entrada gratuita. “Então a população da cidade também vai poder curtir o evento. Mas a ideia é que aconteça anualmente. Essa fábrica de cachaça é de Chapada mesmo, então é de uma empresa da cidade, que está fomentando o comércio local. E isso será colocado no calendário anual”, completa o presidente.

Para Lauristela, este tipo de evento é muito benéfico para a cidade. “Chapada está buscando voltar à sua vocação de cidade charmosa. A gente quer que você saiba que quando subir pra Chapada, além de bem acolhido – no meu caso que tenho pousada – você terá uma programação cultural variada”, afirma. “E a gente quer isso, que você tenha um final de semana com música de boa qualidade, programação variada, e a ideia é: você tem uma boa ideia? Traga pra Chapada, que o setor se organiza pra ajudar a viabilizar. A gente quer fazer algumas coisas pro Natal, organizar para fazer algum evento com música clássica, erudita, que é o que Chapada precisa: pequenos eventos, de boa qualidade, e que tragam cá”, finaliza.

 

Geodésica Blues Festival

A primeira edição do encontro aconteceu dentro do Sítio monjolinho, localizado no Vale da Bêncão, município de Chapada dos Guimarães, onde é produzida a cachaça Geodésica. A ideia surgiu da mente de três amigos: Marcos Sguarezi, criador da Geodésica, Xisto Bueno, apaixonado por jazz, blues e rock’n’roll, e Luiz Brizuela, que ficou responsável por organizar a line up, providenciar a estrutura física, a divulgação e a organização do evento.Na segunda edição, o festival ultrapassou as fronteiras do sítio, e foi realizado no centro da cidade, no Espaço Pomodori, e já com um nome importante, do guitarrista Fábio Brum, reconhecido no cenário do blues do centro-oeste e que atua em São Paulo com grandes nomes do blues.

Agora, o evento será totalmente aberto ao público, e a expectativa é que compareçam cerca de cinco mil pessoas. Na programação estão os artistas João Fortes (PR-MT) e Décio Caetano (PR), grandes nomes do cenário do blues nacional, além de nomes do blues local, como Allan Regis & Mississipi Jr., Stone Flower Blues, e a grande revelação do blues cuiabano, SilverGuy. Haverá, também, uma apresentação surpresa, que fará uma homenagem a um grande nome do blues nacional.