Fenabrave diz a Guido Mantega que financiamento melhor ajudaria nas vendas

75 0

 

‘Hoje, temos 48 meses de prestações, mas o cliente precisa pagar 30% de entrada. O ideal seria que o número de parcelas voltasse a 60 e a entrada ficasse entre 10% a 20%’, comentou Flávio Meneghetti

SÃO PAULO – O presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Flávio Meneghetti, manifestou ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, que as vendas do setor destravariam com melhores condições de crédito. Segundo ele, o setor está com dificuldades de negociar automóveis, sobretudo por causa da cautela dos bancos para conceder financiamentos. “Hoje, temos 48 meses de prestações, mas o cliente precisa pagar 30% de entrada. O ideal seria que o número de parcelas voltasse a 60 e a entrada ficasse entre 10% a 20% do total”, comentou.
Segundo Meneghetti, o ministro não fez nenhuma manifestação sobre se atenderia ou não esta demanda do setor, pois apenas ouviu os dirigentes da Fenabrave sobre a evolução do seu mercado.
O executivo destacou que na primeira quinzena de maio já ocorreu melhora pontual de 3% nas vendas em relação à primeira quinzena de abril deste ano, mas ele ressaltou que este dado ainda é limitado, pois cobre um período curto de tempo. Meneghetti destacou que no primeiro quadrimestre do ano ocorreu uma queda de 3,5% das vendas do segmento, ante o mesmo período do ano passado. “Mas nossa expectativa é positiva. Esperamos que no segundo semestre o mercado fique melhor, inclusive porque a inadimplência deve ter melhor desempenho ao final do primeiro semestre”, comentou. “Para este ano continuamos avaliando que, se o PIB crescer ao redor de 3%, as vendas deve subir 3,5% ante 2011. No ano passado, o segmento registrou uma alta de negócios de 4,7% ante 2010. Meneghetti detalhou que antes da crise 2008 os bancos aprovavam 70% dos pedidos de financiamento e hoje este patamar está em 35%.