F1: Pastor Maldonado vence pela primeira vez na Fórmula 1

55 0
Pastor Maldonado no pódio

 

No GP da Espanha, venezuelano quebra jejum da Williams e conquista primeira vitória para o seu país na história

Pastor Maldonado entrou para a história da Fórmula 1 ao vencer neste domingo o Grande Prêmio da Espanha, em Barcelona. O piloto de 27 anos quebrou um jejum de 132 corridas sem vitória da Williams e ainda se tornou o primeiro venezuelano ao vencer na categoria.
Além disso, Maldonado passou a ser o quinto vencedor diferente em cinco corridas no Mundial deste ano, um fato que não acontecia desde a temporada de 1983, quando Nelson Piquet, John Watson, Alain Prost, Patrick Tambay e Keke Rosberg venceram os cinco primeiros GPs.
Mais do que isso, a Williams foi a quinta escuderia diferente a vencer na temporada, o que também remete ao campeonato de 1983, quando Brabham, McLaren, Renault, Ferrari e a própria Williams triunfaram no começo daquele ano.
De quebra, Maldonado ainda deu um presentão de aniversário para o patrão Frank Williams, que completou 70 anos de idade neste fim de semana e recebeu uma festa surpresa no motorhome da equipe, no sábado.
Para conquistar a vitória, Maldonado superou uma má largada, quando foi ultrapassado por Fernando Alonso, recuperou a ponta nas paradas de box, e resistiu a uma dura pressão do espanhol na parte final da prova. Kimi Raikkonen completou o pódio, em terceiro.
Com o segundo lugar, Alonso reassumiu a liderança do campeonato, com os mesmos 61 pontos do atual bicampeão Sebastian Vettel, que terminou em quinto lugar, após uma punição por não reduzir a velocidade num trecho sob bandeira amarela.
Os brasileiros tiveram mais uma corrida desastrosa. Bruno Senna se envolveu numa colisão com Michael Schumacher, enquanto Felipe Massa terminou na 15ª posição depois de sofrer uma punição pelo mesmo motivo de Vettel.
A CORRIDA
Maldonado não fez uma grande largada da pole position e foi superado por Alonso na freada para a primeira curva. O espanhol controlou bem a ponta em relação ao venezuelano, que também não era atacado por Raikkonen, terceiro colocado.
Mas o venezuelano recuperaria a liderança graças a uma inteligente estratégia da Williams, que o chamou aos boxes para a primeira troca de pneus antes de Alonso. A volta que deu a mais com pneus novos foi decisiva para ele ficar à frente do espanhol quando este parou.
Mais atrás Massa até que fazia uma boa corrida, brigando para entrar na zona de pontuação, quando foi punido por não ter reduzido o ritmo num trecho sob bandeira amarela devido ao acidente entre Senna e Schumacher.
A colisão, aliás, foi o momento mais polêmico da corrida. Com uma tática de retardar sua parada, Senna vinha em ritmo mais lento, com pneus gastos. Schumi tinha um jogo novo e tentou a ultrapassagem sem sucesso até bater na traseira do Williams.
Vettel, que vinha crescendo na corrida após ter largado em sétimo, também foi punido e, com isso, perdeu qualquer chance de ir ao pódio. Apesar disso, o bicampeão reagiu nas voltas finais e ainda salvou um sexto lugar, suficiente para mantê-lo na liderança do campeonato.
A última parte da corrida, diga-se de passagem, foi a mais movimentada, justamente devido ao desgaste discrepante dos pneus. Hamilton, que largou em último e adotou tática de um pit stop a menos e se deu bem, apesar da queda de ritmo que o fez perder ser ultrapassado por Vettel.
Outros que sofreram com o desgaste da borracha foram Nico Rosberg e Jenson Button, que perderam ritmo nas voltas finais e acabaram apenas em sétimo e nono lugares – Nico Hulkenberg completou a zona de pontuação em décimo lugar.
Na frente, Alonso voltou melhor do seu último pit stop e encostou em Maldonado, mas não o suficiente para tentar uma ultrapassagem. Já Raikkonen vinha mais veloz do que os dois e não só deixou o companheiro Romain Grosjean longe, em quarto, como chegou perto.
Mas era tarde demais e Maldonado controlou a diferença para Alonso e Raikkonen nas últimas voltas para conquistar uma histórica vitória para ele, seu país e a Williams. Será que a equipe do velho Frank se reergueu de verdade e vai brigar por mais vitórias?
Respostas no Grande Prêmio de Mônaco, daqui a duas semanas.

RESULTADO FINAL Do GRANDE PRÊMIO DA ESPANHA
1º – Pastor Maldonado (VEN) Williams-Renault – 1m22s285
2º – Fernando Alonso (ESP) Ferrari – a 3s1
3º – Kimi Raikkonen (FIN) Lotus-Renault – a 3s8
4º – Romain Grosjean (FRA) Lotus-Renault – a 14s7
5º – Kamui Kobayashi (JAP) Sauber-Ferrari – a 1m04s6
6º – Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault – a 1m07s5
7º – Nico Rosberg (ALE) Mercedes- a 1m17s9
8º – Lewis Hamilton (GBR) McLaren-Mercedes – a 1m18s1
9º – Jenson Button (GBR) McLaren-Mercedes – a 1m25s2
10º – Nico Hulkenberg (ALE) Force India-Mercedes – a uma volta
11º – Mark Webber (AUS) Red Bull-Renault – a uma volta
12º – Jean-Eric Vergne (FRA) Toro Rosso-Ferrari – a uma volta
13º – Daniel Ricciardo (AUS) Toro Rosso-Ferrari – a uma volta
14º – Paul di Resta (GBR) Force India-Mercedes – a uma volta
15º – Felipe Massa (BRA) Ferrari – a uma volta
16º – Heikki Kovalainen (FIN) Caterham-Renault – a uma volta
17º – Vitaly Petrov (RUS) Caterham-Renault – a uma volta
18º – Timo Glock (ALE) Marussia-Cosworth – a duas voltas
19º – Pedro de la Rosa (ESP) HRT-Cosworth – a três voltas

ABANDONOS
Sergio Perez (MEX) Sauber-Ferrari – a 29 voltas/mecânico
Charles Pic (FRA) Marussia-Cosworth – a 31 voltas/mecânico
Narain Karthikeyan (IND) HRT-Cosworth – a 44 voltas/mecânico
Bruno Senna (BRA) Williams-Renault – a 54 voltas/colisão
Michael Schumacher (ALE) Mercedes – a 54 voltas/colisão

VOLTA MAIS RÁPIDA
Romain Grosjean (FRA) Lotus-Renault – 1m26s250, na 53ª