Energisa intensificará ações para organizar cabos de telefonias e televisão em postes

78 0

A Energisa Mato Grosso intensificará as ações para a organização dos cabos de telefone e televisão nos postes instalados no Estado. O anúncio aconteceu durante workshop realizado hoje (21) em Cuiabá com representantes de empresas ocupantes das estruturas. Mais de 20 parceiras de todo o Mato Grosso participaram e se mostraram dispostas a colaborar com as ações que serão realizadas no decorrer de 2018.
Neste primeiro momento as ações serão voltadas para aproximação e orientação das empresas que ocupam os postes. No encontro de hoje, por exemplo, foram tratados temas técnicos, como direitos e deveres, prazos e contratos e como combater as ocupações clandestinas. O desejo de se ter fios organizados também foi um dos principais tópicos. Uma carta com orientações será enviada nos próximos dias.
“Estamos com um trabalho forte desenhado para 2018 com o objetivo de organizar os cabos das ocupantes dos postes, fazendo com que as redes defasadas sejam organizadas, as que não possuem identificação sejam regularizadas e aquelas clandestinas sejam retiradas. Nossa maior preocupação neste momento é oferecer segurança à população e, automaticamente, melhorar o visual das cidades”, explica Glauber Niero, gerente do Departamento de Construção e Manutenção da Energisa Mato Grosso.
No segundo semestre a Energisa terá equipes especializadas em Telecom para fazer a fiscalização dos postes, notificando quem estiver irregular e até mesmo multando, no caso daquelas empresas que tiverem contrato com a distribuidora e não estiverem seguindo as normas para o uso do poste. Todas as ligações deverão estar conforme o projeto aprovado pela Energisa.
“Estes primeiros meses serão para que as empresas se organizem. Já nos colocamos à disposição para tirar dúvidas e sanar ruídos. Pedimos para os presentes  nos ajudarem nesta ação e tivemos um retorno muito positivo”, comenta Glauber.
Eder Carlos Celloni, proprietário da empresa Master Tecnologia de Nova Mutum, avaliou como muito positivas as ações, não só para a população, mas também para as empresas que fazem tudo corretamente e acabam sendo vítimas das ocupações clandestinas. “Concordamos que todas as ações são necessárias para a população, para a Energisa e para nós, mas nos preocupamos com as retiradas de cabos. Precisamos ser informados com antecedência, comunicados sobre o que for encontrado para evitar que a gente tenha prejuízos”, ponderou Éder.
Para o diretor da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Mato Grosso (Facmat), Manuel Gomes da Silva, a discussão sobre a organização dos cabos nos postes não só é oportuna, mas também necessária, pelo visual, mas principalmente pela segurança da população. “Estes esforços serão fundamentais. O centro de Cuiabá, por exemplo, tem muitas redes de telefonia já sem uso. Se se desprenderem, podem trazer riscos”, conta.