Crescendo a passos largos, Sinop vive o “boom” da construção civil

69 0

 

De Sinop – Alexandre Alves

Betoneiras, pás e colheres de pedreiro estão “a todo o vapor” em Sinop, com obras residenciais e comerciais surgindo em “todos os cantos” da cidade. A constatação visual de que a construção civil está aquecida é corroborada com os números apresentados esta semana pelo Núcleo de Desenvolvimento Urbano de Sinop (Prodeurbs).

O levantamento apontou que foram emitidos 652 alvarás de construção, o que equivale a 128.6 mil metros quadrados de área construída. Os dados mostram uma evolução simétrica nos últimos anos neste segmento da economia. Entre janeiro a abril de 2009 a soma chegou aos 48.7 mil m², em 2010 foram 78.9 mil m² e, em 2011, 91 mil m².

As lojas de materiais de construção confirmam o crescimento. O gerente de vendas Marcelo Alves informa que na loja o movimento foi intenso nos últimos quatro meses. “Vendemos bem e há épocas até que faltou cimento”, referindo-se ao período em que a usina, em Nobres, não conseguiu atender a demanda por conta de manutenção.

Mão de obra também falta para lidar com cimento e tijolo. O chefe de obras Sílvio Dias reclama dos preços inflacionados. “Desde o ano passado que está faltando pedreiro e servente. Com isso fica mais caro para contratar trabalhadores. Cheguei a contratar de outros municípios porque aqui não tem mais gente nessa área”, lembrou.

Outro setor que não está ‘dando conta’ de atender a demanda é o de esquadrias. Os clientes que precisam de calhas, rufos, grades e portões precisam esperar até 30 dias para receber a encomenda. “Consultei em umas oito fábricas de calhas e todos me pediram longo prazo de entrega. Paguei à vista e tive que esperar, fazer o quê? “, indagou a professora Lúcia Manganês.

Para o prefeito Juarez Costa, os números consolidam o desenvolvimento da cidade, que cresce em média a 10% ao ano. “Sem dúvidas, a economia como um todo está aquecida e a construção civil é um dos fatores essenciais neste sentido, responsável pela geração de tantos novos empregos”, comenta o gestor municipal.

E a projeção é que o segundo semestre também seja aquecido no ramo de construção civil em Sinop. Muitas obras estão para começar e, além disso, construtoras investem em edifícios e conjuntos habitacionais para atender uma demanda crescente na cidade. Pelo menos 15 novos bairros devem ser abertos entre 2012 e 2013.

Boa parte dos imóveis é para atender a classe universitária, que aumenta ano a ano. Atualmente, são mais de 11 mil estudantes no ensino superior. A perspectiva é que Sinop torne-se o principal centro educacional do Centro Oeste em alguns anos.

Números:

Sinop tem atualmente 116 mil habitantes, segundo o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), divulgado em 2011. O Produto Interno Bruto (PIB) a preços correntes é de R$ 1.8 bilhão (dados do IBGE de 2009) e a renda per capta anual é de R$ 15.8 mil. A maior fatia do PIB é gerada pela prestação de serviços (R$ 1.1 bilhão).