banner

Consórcio que ficou em 2º lugar vai recorrer do resultado

196 0

 

Midia News

 
Representante afirma que irá questionar proposta do consórcio Cuiabá, que ficou em primeiro
O consórcio que ficou em segundo lugar na licitação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), formado pelas empresas Mendes Junior Trading e Engenharia S.A, Sociedade de Construções Soares da Costa e Alstom do Brasil Engenharia e Transporte, entrará com recurso contra o resultado do certame. A proposta do grupo foi de R$ 1,54 bilhão.
Na sessão da manhã desta quinta-feira (24), quando o consórcio melhor classificado, o VLT Cuiabá (proposta de R$ 1,47 bilhão) entregou os documentos para habilitação, o segundo colocado registrou na ata o interesse de recorrer.
A representante do segundo colocado, Maria Elizabeth Martins da Costa, informou que entrará com recurso contra a proposta técnica, o preço e a habilitação do consórcio VLT Cuiabá.
O grupo também recorrerá da proposta técnica e do preço apresentado pelo consórcio Tranvia Cuiabá, que ficou em terceiro lugar na concorrência.
A representante do consórcio que lidera o certame, Izabella Giuliana Zanardo de França, por sua vez, registrou que recorrerá da proposta técnica e do preço apresentados pelos consórcios Mendes Junior/Soares da Costa/Alstom e Tranvia Cuiabá.
O grupo Tranvia (proposta de R$ 1,59 bilhão) sequer compareceu à sede da Secopa para acompanhar essa etapa do certame. No entanto, o consórcio também tem o direito de recorrer do resultado.
O consórcio Expresso Verde, que tem duas empresas mato-grossenses em sua composição (as construtoras Engeglobal e Três Irmãos), foi desclassificado devido ao alto valor apresentado para implantar o VLT (R$ 1,85 bilhão).
Resultado final
Com essa profusão de recursos, a expectativa é que o resultado final, com a definição do grupo que, de fato, vai implantar o VLT em Cuiabá e Várzea Grande, seja divulgado somente após o dia 8 de junho.
Isso porque a equipe de licitação da Secopa já concluiu a análise da habilitação do consórcio que lidera o certame, e o resultado da licitação será publicado no Diário Oficial do Estado que circula nesta sexta-feira (25). A partir da publicação, começa a contar o prazo de cinco dias úteis para que os consórcios recorram do resultado. Após, a Secopa terá mais cinco dias úteis para avaliar os pedidos de impugnação.
Após esse período, o consórcio que se sagrar vencedor assinará o contrato e o governo expedirá a ordem de serviço para que as obras tenham início efetivamente, o que deve ocorrer entre o final de junho e o começo de julho.
Confira a formação dos consórcios que ainda estão na disputa e os preços apresentados:
Consórcio “VLT Cuiabá”: proposta de R$ 1.477.617.277,15
Formado por cinco empresas: Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda, Astep Engenharia Ltda.

Consórcio “Mendes Junior/Soares da Costa/Alstom”: R$ 1.547.152.071,95 
Formado por três empresas: Mendes Junior Trading e Engenharia S.A, Sociedade de Construções Soares da Costa, Alstom do Brasil Engenharia e Transporte.

Consórcio “Tranvia Cuiabá”: R$ 1.596.018.626,03
Formado por oito empresas: S/A Paulista Construções e Comércio, Trans Sistemas de Transporte S/A, Isolux Projetos e Instalações, Corsán-Corviam Construccion S/A, Isolux Ingeneria S/A, Vossloh España S/A, Vossloh Kiepe, Vetec Engenharia.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Holler Box
Holler Box