CBR 500R cai diante de R3 e Ninja 400

108 0

Defasada em relação a suas principais concorrentes, Honda CBR 500R sai de linha no Brasil nesse início de 2019. Existirá substituta?
Por enquanto não é possível afirmar se haverá uma substituta, pois em comunicado a Honda afirmou estar atenta a tendência de interesse em modelos esportivos de alta cilindrada e por isso seu foco está nas quatro cilindros de 650 e 1000 cc.
No mercado europeu a esportiva bicilíndrica de 500 cc não só está mantida como passou por reformulação ganhando diversos itens que a deixaram mais moderna.

CBR 500R sai de linha no Brasil
Tendo comercializado cerca de 6.000 unidades desde seu lançamento no Brasil em 2013, a CBR 500R sai de linha por vários fatores. Dentre eles está o baixo volume de vendas, principalmente comparado com as concorrentes mais atuais.
Apesar de menos potentes, Yamaha R3 (vendida aqui desde 2015) e Ninja 300 (que em 2018 virou 400), são mais leves, atualizadas e sempre custaram menos que a esportiva de 500 cc da Honda.
São 471 cc, 50,4 cv e 182 kg a seco para a CBR 500R (R$ 24.900) contra as 321 cc, 42 cv e 170 kg a seco da YZF-R3 (R$ 23.290) ou as 399 cc, 48 cv e apenas 168 kg em ordem de marcha da recém-chegada Ninja 400.

Substituta da CBR 500R no Brasil
Nenhuma informação é confirmada, mas também não está descartada a possibilidade da Honda estar preparando uma substituta para a CBR 500R no Brasil. Uma esportiva menor, de 300 cc, ou uma maior, de 650 poderiam estar por vir.
Aqui mesmo no Moto Rede já publicamos uma matéria sobre a CBR 300R (foto acima), a pequena esportiva de entrada da Honda que é vendida aqui do lado na Argentina (veja).
Outa situação, essa já falando de uma esportiva de 4 cilindros, está diretamente ligada ao registro de patente feito no começo de 2019 aqui no país pela Honda para a novíssima CBR 650R, veja a imagem abaixo.

Substituindo a CBR 650F (com “F” de Fun), a nova CBR 650R (com “R” de Racing) poderia ser o grande foco da Honda na esportivas de média/alta cilindradas de entrada, como a comunicação oficial sobre a saída da 500R informa.

O modelo foi apresentado no Salão de Milão (EICMA) de 2018 e entre os grandes diferenciais estão a tecnologia embarcada, visual agressivo e o aumento de potência, passando dos 88,5 cv para os 95 cavalos. Isso a coloca perto do que a antiga e saudosa Hornet entregava.

CBR 500R uma esportiva de pouca emoção
Tivemos a oportunidade de rodar alguns bons quilômetros em trechos de rodovia e cidade com a CBR 500R durante a volta de quando fomos para a pista no lançamento das versões 2018 de 650 cilindradas.
A sensação é de uma esportiva até certo ponto confortável, mas que não entrega tanta emoção quanto as suas principais concorrentes. Isso, para alguns, pode até ser um ponto positivo, mas para muitos é como se a moto não entregasse o prometido.
Sua posição de pilotagem é de uma esportiva, seu motor tem potência suficiente para isso, mas seu peso e sua agilidade a tornam praticamente uma sport-touring. Foi divertido pilotar ela, mas realmente faltou um pouco de emoção.

Abril de 2019, a Honda CBR 500R deixa o mercado brasileiro. Será que junto, o modelo deixará saudades?

Holler Box
Holler Box