banner

Carreata a favor de Bolsonaro corta Cuiabá em defesa de projetos do governo e com críticas ao Centrão

336 0

Do: Olhar Direto

Foto: Olhar Direto

Os cuiabanos que saíram às ruas neste domingo (26) para defender o governo Bolsonaro se concentraram na Praça das Bandeiras, ponto da partida da carreata que deve cruzar a cidade e se encerrar na Arena Pantanal. Os manifestantes exigem colaboração do Congresso Nacional com as pautas apresentadas pelo governo. Foram criticados o ‘Centrão’, o Movimento Brasil Livre (MBL) e a Rede Globo.

As manifestações a favor do governo Bolsonaro acontecem em várias cidades do país desde o período da manhã. Desta vez, grupos de direita que tradicionalmente participam de atos desta natureza, como Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem pra Rua, não participam. Em Mato Grosso, o ato teve como linha de frente o grupo Direita Mato Grosso e políticos e assessores ligados ao PSL.

Em entrevista concedida ao Olhar Direto no aquecimento para a manifestação, o coordenador do Direita Mato Grosso, Rafael Yonekubo, informou que a opção por uma carreata se deu pelo fato de Cuiabá ser muito quente e, assim, seria possível chegar em mais pontos da cidade.

Yonekubo também criticou o grupo de parlamentares identificados como “Centrão” e o MBL. “Isso é em apoio ao governo. A gente quer que o Brasil cresça e sem o toma lá da cá . Iso aqui é uma resposta para o Centrão e para o MBL também , que no finalzinho acovardou, isso aqui mostra que a gente não precisa do MBL”, afirmou.

O foco da manifestação, segundo o organizador, é a reforma da Previdência, o pacote anticrimes do ministro Sérgio Moro, o controle do Coaf pelo Ministério da Justiça e a MP 870.

“Fechamento do Congresso e do STF são coisas que a gente nunca pediu. É uma coisa que o pessoal inventou, não são nossas pautas não”, garamtiu.

O servidor público federal Daniel Almeida de Macedo, 44, fez questão de comparecer ao ato com sua família. “Nós somos evangélicos, somos uma família de classe média, tradicional. Então é quase que natural essa adesão a esses princípios e propostas [do governo Bolsonaro]”, explicou ao Olhar Direto.

“Eu compartilho com as idéias, as posturas e o plano de governo do Bolsonaro. Acredito que pode ser e certamente será uma solução para os problemas. É um governo que enfrenta dificuldades, mas á um governo que tem em sua essência uma proposta poderosa para o Brasil”, justificou sobre sua presença. Daniel ainda afirmou que não tem uma postura contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal.

“Não são criticas, eu acho que é início de governo e é normal que haja um processo de ajustamento entre os três Poderes. Então eles estão se relacionando agora, em um período curto e existem divergências, mas faz parte da república. O governo precisa do Congresso e do STF”, avaliou.

Por whatsapp, os organizadores do ato divulgaram ao longo da última semana que o ato de Cuiabá se inicia na Praça das Bandeiras à partir das 15h e de lá segue para a Avenida Getúlio Vargas, com parada breve na Praça Alencastro, passagem pelo Choppão e encerramento na Arena Pantanal.

Os manifestantes exigem aprovação do pacote anti-crime, reforma da Previdência, reformas econômicas, CPI da ‘Lava Toga’, garantia de que o COAF fique sob controle do Ministério da Justiça e que o STF não ‘legisle’.