Botafogo falha em 2ª decisão seguida, perde para Vitória e está fora da Copa do Brasil

67 0

O Botafogo ostentava uma invencibilidade de 23 jogos até domingo, mas falhou justamente em momento decisivo e comprometeu o sucesso do semestre. Agora, são duas derrotas seguidas e uma eliminação confirmada. Com o revés por 2 a 1 para o Vitória nesta quarta-feira, a equipe de General Severiano dá adeus à Copa do Brasil. O time baiano, por sua vez, avança e encara o Coritiba nas quartas de final da competição.
O Botafogo entrou em campo com dois desfalques de última hora, além das ausências já esperadas de Andrezinho e Jobson. O zagueiro Antônio Carlos e o meia Fellype Gabriel sentiram dores no joelho direito e deram lugar a Brinner e Felipe Menezes, respectivamente. Mas independente da formação, a ordem no clube alvinegro era esquecer a goleada sofrida na final do Carioca e garantir a classificação na Copa do Brasil – após o empate por 1 a 1 na partida de ida contra o Vitória.
O pensamento da equipe, no entanto, não refletiu nas arquibancadas. O pequeno público presente no Engenhão não esqueceu a expulsão de Lucas contra o Fluminense e pegou no pé do jogador. Na final do Carioca, o lateral levou o cartão vermelho quando a partida estava empatada por 1 a 1 e viu, de longe, o Botafogo ser goleado por 4 a 1 após sua saída.
Mesmo com caráter decisivo, o jogo começou cadenciado e sem grandes pressões dos dois lados. A primeira boa oportunidade do Botafogo foi desperdiçada por Loco Abreu aos 12min. Maicosuel fez jogada individual e tocou para o uruguaio, livre, mandar para fora.
Aos 21min, Elkeson voltou a marcar contra seu ex-clube – assim como ocorreu no jogo de ida – e abriu o placar para o Botafogo. Em reposição de Jefferson, o zagueiro Rodrigo levou a pior em disputa aérea com Loco Abreu e a bola sobrou para o camisa 9. Ele ganhou na corrida e, mesmo caído, tocou na saída do goleiro Douglas.
As melhores chances do Vitória no primeiro tempo tiveram três personagens como protagonistas: os botafoguenses Jefferson e Lucas e Neto Baiano, do Vitória. Aos 36min, o artilheiro do Brasil em 2012 ganhou do goleiro alvinegro e cabeceou, mas o lateral salvou em cima da linha.
Dez minutos depois, o trio voltou a atrair os holofotes. Após escanteio, Jefferson ficou no meio do caminho e viu Lucas impedir o gol do Vitória ao defender com as mãos. O árbitro Paulo César de Oliveira marcou pênalti e expulsou o lateral direito alvinegro. Na cobrança, o goleiro do Botafogo compensou a insegurança demonstrada até ali e defendeu com os pés a batida de Neto Baiano na última jogada do primeiro tempo.
Com um a mais, o Vitória comandou as principais ações no início da etapa complementar e chegou ao empate aos 11min. A equipe baiana aproveitou indefinição de Marcelo Mattos e Renato, roubou a bola e acionou Pedro Ken dentro da área. O camisa 8 dominou, limpou a marcação e acertou um belo chute para fazer 1 a 1.
O Vitória soube utilizar a vantagem numérica a seu favor e seguiu com o domínio das ações. Pedro Ken, Uelliton e Neto Baiano tiveram chances de ampliar, mas desperdiçaram. A recompensa da pressão chegou aos 23min do segundo tempo. Tartá aproveitou cruzamento de Wellington Saci e cabeceou no canto esquerdo de Jefferson para fazer 2 a 1.
O Botafogo ensaiou uma pressão e até criou boas oportunidades de marcar. A melhor delas foi com Loco Abreu. O uruguaio cabeceou, superou o goleiro Douglas, mas viu a defesa do Vitória salvar. Maicosuel e Brinner também tiveram suas chances, mas desperdiçaram. Àquela altura, apenas dois gols garantiriam a classificação alvinegra. Mas os tentos não vieram e a equipe deixou a Copa do Brasil sob gritos de “time sem vergonha”.