A ALEGRIA DO ENCONTRO

8 0

TEMPO DE REFLETIR 1581 – 30 de abril de 2018

“Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho” (Isaías 53:6).

A ovelha não tem o instinto do boi, do cachorro, do gato ou do pássaro, de voltar no fim do dia para casa. É um animal tímido, frágil, que se assusta facilmente. Ela não tem mecanismos e recursos de defesa como outros animais, que têm garras, dentes, espinhos, carapaça, nem correm bastante para fugir do predador. Elas não são espertas e ágeis como outros animais. Você já viu alguma apresentação circense com ovelhas? Elas têm a tendência de se desgarrar, perdem-se com facilidade, percebem que estão perdidas, mas não sabem como voltar ao rebanho.

Existe no pecado a tendência de nos afastar, de nos levar ao esconderijo, de aproveitar o anonimato e viver como fugitivos. De respondermos à insinuação curiosa dizendo: “Deixa ver como é”; “É só desta vez”; “Eu sei aonde estou indo”; “Eu não vou ficar lá”. E nesse afastamento muitos de nós vamos parar no fundo do poço ou à beira do abismo. Ou ficamos enroscados, presos, atolados na lama. E por nós mesmos nunca vamos sair de onde nos metemos.

A procura começa por iniciativa de Deus, e quando Ele busca, nos encontra. Foi assim com a ovelha, com a moeda, com a samaritana, com Saulo de Tarso e com Adão. É Ele quem Se movimenta em nossa direção.

Você se sente perdido agora? Aceite a ajuda do Pastor. Não interessa se está longe ou no mais profundo abismo, Ele pode tirá-lo de lá. Pare de correr, se esconder, se machucar e se martirizar, querendo se convencer, orgulhosamente, de que pode encontrar o caminho de volta sozinho. Deus quer ser nosso pastor e nos trazer de volta ao redil.

Quando o pastor encontra a ovelha, volta de maneira triunfante. Seus melhores sentimentos e suas melhores intenções foram recompensados. “Ele [viu] o fruto do penoso trabalho de Sua alma e [ficou] satisfeito” (Is 53:11, ARA).

“Eu já fui ovelha errante, do pastor eu me afastei, / Quis seguir os meus caminhos e do aprisco me ausentei […] / De repente, ouvi ao longe uma voz tão familiar, / Era o meu pastor chamando, quase rouco de gritar. / Me avistou lá no penhasco e correu pra me alcançar, / Estendeu o seu cajado, conseguiu me resgatar” (“Ovelha Errante”, Jader Santos).


-> Música: Regina Mota, “Ovelha errante”
-> Narração: Amilton Menezes

Deixe seu comentário

Related Post

FONTE DE ESPERANÇA

Posted by - 16 de junho de 2016 0
TEMPO DE REFLETIR 898 – 16 de junho de 2016 “Os que amam a Tua lei desfrutam paz, e nada…

Não estou ouvindo!

Posted by - 4 de Janeiro de 2016 0
Podcast: Play in new window | Download TEMPO DE REFLETIR 734 – 4 de janeiro de 2016 “Mas os israelitas do…